Equipe

Antônio Cunha - Concepção e Direção Cênica

Diretor, dramaturgo, roteirista e ator, natural de Florianópolis, é de sua autoria, dentre outras, a peça “Dona Maria, a Louca”, que já recebeu montagens de sucesso no Brasil e em Portugal. Em 2004, lançou o livro “Três Dramas Possíveis”, contendo três de seus principais textos teatrais. Como ator, tem participado de diversos trabalhos no teatro e no cinema, dentre os quais destaca-se o filme ENSAIO, de Tânia Lamarca, cujo lançamento deu-se em outubro de 2013. Assinou a direção de várias peças de teatro, suas e de outros autores, como “Uma Visita”, do dramaturgo alemão Martin Walser, pelo Grupo Armação, com a qual excursionou pelo território dos Açores, em Portugal, a convite do governo local. Iniciou a sua incursão pela ópera realizando a concepção e direção cênica de “O Diretor de Teatro” (Der Schauspieldirektor) de Mozart (2004) pela Companhia da Ilha (Florianópolis), continuando com Cavalleria Rusticana, de Mascagni (2004); A Flauta Mágica, de Mozart (2005); Rigoletto, de Verdi (2006); La Traviata, de Verdi (2007 e 2008); O Elixir do Amor, de Donizetti (2008) e O Barbeiro de Sevilha de Rossini (2009), todas pela Pró-Música de Florianópolis.Em 2010, dirigiu com a mesma equipe a remontagem da ópera La Traviata em Florianópolis, já pela Cia. Ópera de Santa Catarina, e, em 2012, a remontagem de O Barbeiro de Sevilha apresentada na cidade de Chapecó. É membro da Academia Catarinense de Letras e Artes.Diretor, dramaturgo, roteirista e ator, natural de Florianópolis, é de sua autoria, dentre outras, a peça “Dona Maria, a Louca”, que já recebeu montagens de sucesso no Brasil e em Portugal. Em 2004, lançou o livro “Três Dramas Possíveis”, contendo três de seus principais textos teatrais. Como ator, tem participado de diversos trabalhos no teatro e no cinema, dentre os quais destaca-se o filme ENSAIO, de Tânia Lamarca, com lançamento previsto para junho de 2013. Assinou a direção de várias peças de teatro, suas e de outros autores, como “Uma Visita”, do dramaturgo alemão Martin Walser, pelo Grupo Armação, com a qual excursionou pelo território dos Açores, em Portugal, a convite do governo local. Iniciou a sua incursão pela ópera realizando a concepção e direção cênica de “O Diretor de Teatro” (Der Schauspieldirektor) de Mozart (2004) pela Companhia da Ilha (Florianópolis), continuando com Cavalleria Rusticana, de Mascagni (2004); A Flauta Mágica, de Mozart (2005 e 2013); Rigoletto, de Verdi (2006); La Traviata, de Verdi (2007 e 2008); O Elixir do Amor, de Donizetti (2008) e O Barbeiro de Sevilha de Rossini (2009), todas pela Pró-Música de Florianópolis. Em 2010, dirigiu com a mesma equipe a remontagem da ópera La Traviata em Florianópolis, já pela Cia. Ópera de Santa Catarina, e, em 2012, a remontagem de O Barbeiro de Sevilha apresentada na cidade de Chapecó. É membro da Academia Catarinense de Letras e Artes.

Neyde Coelho - Direção Geral

Pianista, estudou com Oleh Gabruzewicz (Ucrânia), Magdalena Tagliaferro, Jacques Klein, Miguel Proença e Gilberto Tinetti. Participou das classes de piano das professoras Henriqueta Garcez Duarte e Ingrid Seraphin do Curso Superior de Piano na Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Licenciada em Artes pela Fundação Regional de Blumenau – FURB foi professora do curso de piano e Diretora da Escola Superior de Música de Blumenau. Em 1981 fez parte do grupo de fundadores da Orquestra de Câmara de Blumenau, como Diretora Executiva de 1981 a 1992. Recebeu em 1992 o Top de Marketing da ADVB/SC na categoria Cultura. De 1992 a 1994 trabalhou na Interarte Produções Artísticas, em São Paulo. De 1997 a 2007 foi Diretora Artística da Pró-Música de Florianópolis. Em 2007 recebeu a Medalha do Mérito Cultural Cruz e Sousa Até 2009 atuou como Produtora Executiva da Pró-Música de Florianópolis e como Diretora Geral de Produção de óperas. Em Novembro de 2009, participou da fundação da Cia Ópera de Santa Catarina da qual é Presidente a partir de fevereiro de 2013.

Joice Della Rocca - produção

Trabalha com produção cultural desde o ano de 2000. Participou da produção dos espetáculos do pianista russo Eduard Shulkin, BWV.BACH.SHOW.BR - Um Concerto Diferente do Grupo Allegro Vivace, Série Ciclo Jovens Talentos Catarinenses, Momentos com Franklin Cascaes do Grupo Allegro Vivace, do projeto Edino Krieger 80 anos e a Orquestra de Câmara de Caçador. Atuou como coordenadora de negócios da Pró-Música de Florianópolis de 2003 a dezembro 2008. Atualmente é coordenadora de negócios da Camerata Florianópolis e da Cia Ópera de SC da qual participou da fundação em 2009. Desenvolveu um importante trabalho junto a grupos de câmara de Florianópolis. Coordena o projeto educacional Música e Cidadania na região dos lagos de SC. É responsável atualmente pela produção de óperas da Cia Ópera de SC.

Maria Elita Pereira - produção

Produtora cultural desde 1998, junto à Camerata Florianópolis produziu mais de 400 concertos em Florianópolis, turnês pelo Estado de Santa Catarina, turnê nacional e europeia mantendo a orquestra com temporadas inéditas e trazendo grandes solistas nacionais e internacionais,além da série Concertos nas Comunidades, visando à democratização da música erudita. Ainda com a Camerata Florianópolisgravou 8 CDs. Como produtora do Polyphonia Khoros, desde 2002 realizou nove turnês Estaduais, uma turnê Nacional e uma Turnê Sul Americana. A partir de 2005 passou a coordenar o projeto “Educando com Música” no município de São Pedro de Alcântara. Entre 2003 e 2009, realizou a Coordenação de Negócios para a Pró-Música de Florianópolis na montagem completa das óperas Carmem (2003), Cavalleria Rusticana (2004), A Flauta Mágica (2005), Rigoletto (2006), La Traviata (2007, 2008 e 2010), O Elixir do Amor (2008) e O Barbeiro de Sevilha (2009e 2012). Em Novembro de 2009, participou da fundação da Cia Ópera de Santa Catarina.

Edmundo Meira Neto - Cenografia e Adereços de Cena

Engenheiro por formação, iniciou os trabalhos para espetáculos teatrais em 2005, como aderecista de figurino na montagem da ópera A Flauta Magica para a Pró-Música em Florianópolis. Participou também, dentre outros, como aderecista de figurino e cenografia das operas Rigoletto,La Traviata, Elixir do Amor e O Barbeiro de Sevilha para a Cia. Opera de SC; dos espetáculos Auto da Conquista para o Estudio Vozes; Xica da Silva, o musical de Charles Prochnow e dos balés Don Quitoxe e Giselle para o Bolshoi Brasil. Fez os projetos das alegorias para a Escola de Samba Unidos da Coloninha nos anos de 2009 e 2011. Em 2012 fez parte da equipe de cenógrafos da ópera Carmen, apresentada no Teatro Castro Alves em Salvador.

José Alfredo Beirão - Figurinos e Adereços de Cena

Nascido em Criciúma formou-se em arquitetura com especialização em Costumes de Scène pela Escola Superior de Artes e Técnicas da Moda em Paris, onde estagiou na Opéra National de Paris em 1999. É Professor do Curso de Bacharelado em Moda da Udesc e Doutorando em Engenharia e Gestão do Conhecimento na UFSC. Seus principais trabalhos em figurino e cenografia foram: Dame de Coeurs- confecção de um traje realizado no atelier da Opéra National de Paris para a exposição “La Comtesse Castiglioni par elle même” a partir de uma pintura de época; Prince Russe-concebido e realizado como trabalho de conclusão de curso na ESMOD de Paris.Esse traje faz parte da coleção de costumes russos do Departamento de Artes da Biblioteca Nacional da França; Le Dragon (Evgueni Schwartz) para o Theatre de Gennevilliers. Figurinos para óperas: Il Pagliacci (Cavallo) para o Estúdio Vozes; Falstaff (Verdi) para a Opéra National de Paris; Le Triomphe de la Vertu (Adrienne Clostre) para o Museu Nacional da Idade Média de Paris; O Guarany (Carlos Gomes) e Catharina, Uma Ópera da Ilha (Bebel Orofino) Além da criação de figurinos para carnaval, peças teatrais, cinema e balés, como os trajes típicos russos para o Ballet Bolshoi do Brasil, criou os figurinos das óperas Cavalleria Rusticana (2004), A Flauta Mágica (2005), Rigoletto (2006), La Traviata (2007 e 2008) e Elixir do Amor (2008) e Barbeiro de Sevilha (2009), produzidas pela Pró-Música de Florianópolis.

Sulanger Bavaresco - Assistente de Direção Cênica

Diretora Teatral, atriz, produtora cultural e professora. Graduada em Artes Cênicas pela UDESC, atua no âmbito teatral desde 1984. Criou, em 1993, o FLORIPA TEATRO - Festival Isnard Azevedo e desde 2011 ocupa cadeira na ACLA - Academia de Artes e Letras de Santa Catarina. Como diretora realizou diversos espetáculos junto ao grupo O Dromedário Loquaz e outros e como atriz atuou em diversas montagens. Desde 2005 é Assistente de Direção das montagens de ópera feitas pela Pró-Música de Florianópolis e posteriormente pela Cia Ópera de Santa Catarina. Pela Camerata Florianópolis assinou a direção cênica das operetas La Serva Padrona, de Pergolesi em 2009, O Empresário, de W. A. Mozart em 2010 e A Cantata do Café, de J.S. Bach, em 2011. Em 2012 dirigiu pelo Grupo de Teatro O Dromedário Loquaz o espetáculo Árias Públicas, que reuniu 01 pianista e 10 cantores líricos em apresentação realizada ao ar livre.

Polyphonia Khoros

O Polyphonia Khoros foi fundado em 2000 pela maestrina Mércia Mafra Ferreira, que após vários anos de trabalho na direção de outros coros, idealizou formar um grupo vocal de excelência. O Polyphonia Khoros é, portanto, seu projeto de maturidade e vem se destacando no cenário catarinense e nacional através de apresentações que expressam tanto o cuidado na escolha do repertório, quanto a constante busca do aprimoramento vocal em nome das nuances interpretativas requeridas pelas diversidades dos períodos, estilos e compositores a que o grupo se dedica. Nestes dez anos de atividades, o Polyphonia Khoros já realizou nove turnês pelas principais cidades de Santa Catarina, sul e sudeste do Brasil, Argentina e Uruguai, com programas variados, que incluem desde concertos “a cappella” e obras completas para coro e orquestra e a participação de montagens de óperas. Participou das óperas Carmen (2003), Cavalleria Rusticana de Mascagni (2004), Der Schauspiel-direktor de Mozart (2004), A Flauta Mágica de Mozart (2005 E 2013), Rigoletto de Verdi (2006), La Traviata de Verdi (2007, 2008 e 2010), Elixir do Amor (2008) e Barbeiro de Sevilha (2009 E 2012).